Home / Farmacêutico Jeferson Yashuda / Vereadores fiscalizam retirada de lodo da Estação de Tratamento de Esgoto

Vereadores fiscalizam retirada de lodo da Estação de Tratamento de Esgoto

Os vereadores Jéferson Yashuda e José Carlos Porsani, ambos do PSDB, realizaram na terça-feira (27) uma fiscalização nos serviços de retirada do lodo das lagoas de sedimentação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Araraquara. Recursos da ordem de R$ 2,6 milhões foram aprovados pela Câmara para a realização dos serviços, visando melhorar a eficiência do tratamento de esgoto. Desse total, R$ 1,5 milhão vem do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e R$ 1,1 milhão do próprio Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae).

O trabalho foi iniciado no dia 10 de julho pela empresa Fos Engenharia, que fará a retirada de 60 mil m³ de lodo acumulado nas duas lagoas de sedimentação da ETE. Desde o início dos mandatos, Yashuda e Porsani vêm cobrando a recuperação da ETE. A retirada do lodo é parte de um processo de recuperação para que a ETE volte a operar com a eficiência de 85%, índice registrado no início de sua operação.

Além da cobrança dos parlamentares, no ano passado, o Ministério Público de Araraquara ajuizou uma ação obrigando a autarquia a realizar as obras necessárias para melhorar o tratamento de esgoto da cidade que é descartado no Ribeirão das Cruzes. Segundo o MP, o Daae não estaria atendendo aos padrões legais mínimos de tratamento dos efluentes, gerando a poluição das águas do Ribeirão das Cruzes e, por consequência, dano ambiental.

A ETE Araraquara foi projetada na década de 1990 e entrou em operação no ano de 1999, baseada no conceito de lagoas aeradas seguidas de lagoas de sedimentação de lodo. No início de sua operação, a ETE apresentou índices de remoção de Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) superiores a 80%. Ao longo dos 20 anos de funcionamento, o acúmulo do lodo comprometeu a eficiência do tratamento.

O sistema de tratamento e secagem do lodo proveniente das lagoas de sedimentação deixou de ser usado desde 2015 devido ao elevado custo operacional, principalmente devido ao custo do gás butano, combustível utilizado para a secagem do lodo.

Os parlamentares foram recebidos pelo coordenador da ETE, Weverton Campos Nozela, e também conversaram com o encarregado do serviço da empresa responsável pelo serviço.

A remoção dos resíduos das lagoas de sedimentação está sendo feito por meio de sucção por dragagem e desidratação do lodo, que está sendo acondicionado em grandes sacos cilíndricos feitos com tecido geotêxtil de alta resistência para confinamento e desidratação de material com alto teor de umidade. O fluído resultado dessa desidratação retornará, por recalque, para as lagoas aeradas. O contrato prevê um prazo de um ano para a conclusão do serviço.

“Desde o início desta Legislatura, em 2017, estamos acompanhando de perto as condições da ETE. Houve evolução e melhorias. Continuaremos acompanhando de perto. Além do cumprimento da legislação, é uma questão de comprometimento do nosso município com a qualidade da água e com a proteção do meio ambiente”, afirmam.

 

Assessoria de gabinete do vereador Jéferson Yashuda (PSDB)

Compartilhe

Leave a Reply